O secretário-geral das Nações Unidas desafiou o Iémen a prosseguir com os progressos alcançados nos últimos 12 meses, desde a assinatura de um acordo histórico, que colocou um fim à violência no país e definiu um caminho de transição democrática
O secretário-geral das Nações Unidas desafiou o Iémen a prosseguir com os progressos alcançados nos últimos 12 meses, desde a assinatura de um acordo histórico, que colocou um fim à violência no país e definiu um caminho de transição democrática Ban Ki-moon dirigiu-se aos iemenitas, falando em Saná, a capital do país. O vosso país esteve à beira de uma guerra civil, há apenas um ano. Mas souberam superar isso com coragem e determinação política, o que significa, no final, que a clarividência e a sabedoria política prevaleceram. E rematou: Este é um processo que tem de ser irreversível. Não há como voltar atrás. O responsável da ONU deslocou-se a este país na península arábe para assinalar o primeiro aniversário da conclusão do acordo de paz e transição, que se comemora brevemente. assinado na capital saudita de Riad, em novembro do ano passado, este acordo abriu a porta a um processo de transição no Iémen, que tem merecido o apoio pessoal de Ban Ki-moon. a ONU está aqui para testemunhar o progresso que fizeram e também reafirmar o nosso forte compromisso de que vamos acompanhar o povo iemenita e o Governo para avançarem em direção a um futuro mais brilhante, a uma democracia próspera e conciliadora e participativa, sublinhou.