a exposição de pintura e desenho de Eduardo Langrouva, “Livres como o vento”, encontra-se patente no Museu de arte Sacra e Etnologia, em Fátima, do Centro Missionário allamano, até 31 de agosto.
a exposição de pintura e desenho de Eduardo Langrouva, “Livres como o vento”, encontra-se patente no Museu de arte Sacra e Etnologia, em Fátima, do Centro Missionário allamano, até 31 de agosto. a mostra evoca os Índios da américa Latina, no 5º Centenário da descoberta da américa por Cristóvão Colombo (1992). Eduardo Lourenço escrevia nessa data: “Somos todos Índios”. a expressão “Livres como o Vento” é criada pelos Índios de ascendência do antigo império Inca que, apesar de terem sido oprimidos e vitimados, se consideram a si próprios “Livres como o Vento”.
a exposição está aberta ao público todos os dias, das 10H00 às 19H00. Encerra à segunda-feira.

EDUaRDO LaNGROUVa
Fotógrafo
Designer Gráfico
Pintor (4º ano de Pintura da Faculdade de Belas artes de Lisboa)
Exposições Colectivas de Fotografia em Sintra e na Galeria arcada do Estoril
Exposições Individuais de Pintura: Galeria do Convento dos Cardaes, Lisboa; Galeria da EDP (Saldanha- Lisboa)

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *