Continua a crise provocada pela febre hemorrágica. O número de novos casos está a diminuir e a infecção continua a estar localizada na província de Uige, o que alimenta a esperança.
Continua a crise provocada pela febre hemorrágica. O número de novos casos está a diminuir e a infecção continua a estar localizada na província de Uige, o que alimenta a esperança. O número de vítimas da febre hemorrágica provocada pelo ví­rus de Marburg continua a aumentar na angola. De acordo com o último relatório do ministro da saúde de Luanda e da Organização Mundial de Saúde (OMS) os casos de infecção aumentaram para 273, dos quais 253 foram fatais.

apesar do aumento de vítimas, Luanda e as autoridades de saúde internacionais sublinham a presença de sinais positivos. Os novos casos de infecção são todos na província de Uige, onde começou. Os novos casos registados passaram de 35 a 15 por semana.

a epidemia angolana é a mais mortífera jamais registada na história desde que o ví­rus de Marburg foi isolado, em 1967, na cidade alemã com o mesmo nome. O ví­rus, que provoca uma febre hemorrágica parecida com o ébola, não tem cura. é transmitido por contacto com fluidos orgânicos. Os sintomas são febres muito altas, dores musculares, hemorragias e pode levar a uma morte rápida.

a OMS, ministro da saúde angolano e organizações não governamentais estão a trabalhar para controlar a epidemia e impedir que se alastre a outras províncias.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *