Foi sagrado bispo numa cerimónia em que estiveram presentes mais de sete mil pessoas. anacleto de Oliveira, bispo titular de aquae Flaviae e auxiliar de Lisboa ao serviço dos cristãos
Foi sagrado bispo numa cerimónia em que estiveram presentes mais de sete mil pessoas. anacleto de Oliveira, bispo titular de aquae Flaviae e auxiliar de Lisboa ao serviço dos cristãosalegria, calma e serenidade foram os sentimentos que transbordavam do novo bispo auxiliar do patriarcado de Lisboa, anacleto de Oliveira, ontem consagrado bispo, no Santuário de Fátima.
“Nem imaginam como é contagiante ver uma assembleia que canta”, afirmou com felicidade depois de ter passado entre as sete mil pessoas, dando a primeira benção.

aos fiéis, o novo bispo que vai ser responsável pela zona pastoral do Oeste, da diocese de Lisboa, entre Mafra e alcobaça considera que esta calma que “já não sentia há muito tempo”. E esta é uma “graça que atribuo ao Senhor e que nos faz tranquilos”, afirma aquele que escolheu como lema “Escravo de todos”.

as palmas foram uma constante na parte final desta celebração e que culminou com as pessoas a beijarem o anel do novo bispo e a cumprimentá-lo. antes, durante a celebração, anacleto Oliveira recebeu das mãos do celebrante principal, o bispo da diocese de Leiria-Fátima, Serafim Ferreira e Silva, o Livro dos Evangelhos, o anel, a mitra e o báculo pastoral.
Esta celebração contou ainda com presença do Núncio apostólico em Lisboa, alfio Rapisarda, e com os bispos co-ordenantes albino Cleto, bispo de Coimbra e Manuel Pelino, bispo de Santarém. Participaram 19 bispos e 190 sacerdotes, muitos deles da diocese de Leiria-Fátima.

Nas primeiras palavras que dirigiu aos fiéis, já enquanto bispo, anacleto de Oliveira sublinhou que “me encontro nas melhoras mãos, as do Senhor”.
Depois agradeceu particularmente a quatro pessoas, presentes não fisicamente, aos seus pais bem como ao Papa João Paulo II que o nomeou a 4 de Fevereiro de 2005. E quando soube desta nomeação, o eleito dirigiu-se a pé ao Santuário desde a sua terra natal, Cortes, Leiria.

Depois lembrou Bento XVI, o novo papa. “Devo ser um dos primeiros bispos a ser ordenado no início do seu pontificado”. O que naturalmente lhe dará uma “maior ligação a este papa” já que foi consagrado bispo no mesmo dia em que em Roma, Bento XVI foi entronizado.

E sem esuqecer o patriacrca de Lisboa, cuja mensagem leu, firmou o seu propósito de serviço.

Ordenado sacerdote a 15 de agosto de 1970, integrou a administração do santuário de Fátima, trabalho que deixou após a nomeação como bispo auxiliar de Lisboa. Doutorado em Sagrada Escritura, foi secretário da comissão cientí­fica da Universidade Católica nos últimos três congressos internacionais realizados em Fátima.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *