Dois dias de cimeira sem grandes progressos. a África faz apelo aos países mais industrializados para que aumentem as suas ajudas, ao mesmo tempo que procura mecanismos para aumentar a confiança.
Dois dias de cimeira sem grandes progressos. a África faz apelo aos países mais industrializados para que aumentem as suas ajudas, ao mesmo tempo que procura mecanismos para aumentar a confiança. a cimeira de Sharm El-Sheikh, no Egipto, que reuniu delegados de mais de 30 países da Nova aliança para o Desenvolvimento da África (NEPaD), fechou sem resultados práticos.

O mecanismo de ajuda entre parceiros para o Gana e o Ruanda foi adiado até Maio. O mecanismo consiste numa espécie de certificado de estabilidade, que quatro governos africanos subscreveram voluntariamente em 2004 para demonstrar credibilidade e dar garantias aos investidores estrangeiros.

O NEPaD, lançado em 2001, é uma tentativa de recuperar a economia do continente, encorajando o investimento estrangeiro e, ao mesmo tempo, garantindo uma boa governação e penalizando os infractores. a economia africana representa apenas dois por cento da economia mundial.

ao concluir a cimeira foi feito um pedido às nações mais industrializadas, que fazem parte do grupo dos G8, que se reunirá em Julho na Escócia, para aumentar o apoio ao continente africano. actualmente a ajuda é de 20 mil milhões de dólares por ano, destinados a infra-estruturas e ao reforço das instituições.

Estiveram ausentes da cimeira de Sharm El-Sheikh dois importantes membros do NEPaD: o presidente senegalês, abdoulaye Wade, e o presidente sul-africano, Thabo Mbeki.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *