a missionária da Consolata italiana, Irmã Márcia Saurru, ficou ligeiramente ferida numa perna, hoje, 19 de abril, numa explosão em Mogadiscio, na Somália.
a missionária da Consolata italiana, Irmã Márcia Saurru, ficou ligeiramente ferida numa perna, hoje, 19 de abril, numa explosão em Mogadiscio, na Somália. “é apenas uma pequena ferida. Não aconteceu nada”, explica à agência Misna a própria missionária, Irmã Márcia Saurru. “Tínhamos acabado de chegar à aldeia das crianças órfãs, que se encontra do outro lado da estrada que a separa do hospital Sos Kinderdorf, de Mogadiscio, quando uma granada passou por cima das nossas cabeças e explodiu ao pé de uma árvore. Os estilhaços atingiram-me numa perna, causando-me uma pequena ferida. Mas não í¨ nada de grave. Ficaram levemente feridos mais dois homens, que se encontravam junto da árvore”.

acrescenta a misisonária: “Não vimos ninguém lançar a granada; na estrada havia muita gente”. E deixando-se rir, pergunta: “Porquê toda esta atenção? Estamos aqui há tantos anos, que nem sequer nos lembramos que somos as «únicas moscas brancas» que permanecem em Mogadiscio. Não penso que fôssemos nós o alvo”, conclui Irmã Márcia, que, juntamente, com outras duas missionárias trabalham na capital da Somália.

Fontes do novo parlamento sómalo em Nairobi, que se encontra ainda fora da Somália, em Nairobi, estão de acordo que o alvo do ataque não fossem as missionárias. “Entre ontem e hoje (18 e 19 de abril) rebentaram , pelo menos, mais seis granadas em váriso pontos da cidade. Trata-se de uma espécie de estratégia desencadeada por grupos que se opõem à entrada na Somália do das novas instituições, parlamento e governo, que permanecem em Nairobi até que estejam reunidas as condições mí­nimas de segurança.com estes ataques pretendem espalhar o medo entre o povo para que o seu recado seja escutado em Nairobi”, segundo uma fonte que pediu o anonimato.

ainda ontem de manhã uma agente humanitária sómala, que trabalhava para uma organização não governamental sueca, foi morta em Mogadiscio por um grupo de sicários.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *