a diocese de Marsabit, no norte do Quénia, perde em dois dias dois dos seus missionários, ambos por morte inesperada.
a diocese de Marsabit, no norte do Quénia, perde em dois dias dois dos seus missionários, ambos por morte inesperada. a diocese de Marsabit, no norte do Quénia, é uma imensa extensão de deserto e semi-deserto, habitada por tribos nómadas, especialmente os gabbra e os rendille. O bispo ambrósio Ravasi, missionário da Consolata, conta com um exí­guo número de missionários e, praticamente, ainda não tem clero local. Foi grande a sua dor e a de toda a diocese, quando em dois dias consecutivos, 12 e 13 do corrente, faleceram dois dos seus missionários.

a senhora Hildegard Helmer, de 79 anos era uma leiga missionária que dedicou toda a sua vida aos gabbra da missão de North Horr, onde trabalhou durante 40 anos. Faleceu de improviso no seu quarto aqui em Nairobi, onde se encontrava de passagem.

O padre attilio Ravasi, missionário da Consolata e irmão do bispo da diocese, que trabalhou no Quénia durante 31 anos, faleceu de improviso por colapso cardíaco.

Na sexta feira, 15 de abril, na igreja-santuário da Consolata, onde trabalho, tivemos missa exequial por ambos estes arautos da fé, que consagraram toda a vida à missão, a leiga e o sacerdote. Presidiu às exéquias o bispo ambrósio Ravasi e a homilia foi do bispo Virgílio Pante, da diocese de Maralal, colega de curso do missionário defunto, attilio Ravasi.

Marsabit perde dois trabalhadores e ganha dois protectores. Que o Senhor da messe continue a mandar obreiros.

tobias. oliveira@fatimamissionaria.pt

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *