Olhar sobre a Política e a economia: Serafim Ferreira e Silva, bispo de Leiria-Fátima, em entrevista exclusiva à Fátima Missionária.
Olhar sobre a Política e a economia: Serafim Ferreira e Silva, bispo de Leiria-Fátima, em entrevista exclusiva à Fátima Missionária. atento à actualidade, há sinais que têm de ser dados à sociedade portuguesa. afirma que o povo é inteligente e que deu sinais bem claros.

Fátima Missionária: O novo governo tomou posse há pouco tempo. O senhor bispo acompanha a actualidade. Que grandes medidas gostaria de ver implementadas pelo novo governo?

SERaFIM FERREIR a SILVa: Todos nós temos muita esperança. Creio que o povo é inteligente. ao fazer um voto de confiança, dando maioria, é porque está cansado das hesitações e das superficialidades. Pessoalmente acredito que a equipa do governo vá procurar corresponder, vai adaptar-se, vai corrigir, vai melhorar, vai evoluir. E eu não vou ficar na poltrona só a ver o que acontece. Vou estar na cidade dos homens, como cidadão.

FM: Estamos a passar por um período de crise económica. Que resposta gostaria que fosse dada?

SFS: a capacidade económica é baixa, porque somos parte integrante de um todo e a crise da economia é geral. Costumamos dizer que está doente. Poderí­amos desenvolver ainda noutra perspectiva: há quem mate a economia. Isto é, o quinto mandamento não inclui só o corpo fí­sico de uma pessoa. Mas inclui a natureza; há quem mate a natureza. Inclui a alegria; há quem mate a alegria. Inclui, por exemplo, a inocência; há quem mate essa beleza, a pureza de cada um.

a nossa economia não é um todo, mas é uma parte importante do desenvolvimento plural de um país. acredito que temos todos de colaborar. a equipa governamental presta um serviço.

Um político não é um mediático que vai dar espectáculo. é alguém que se compromete com o povo a prestar um serviço. Por conseguinte qualquer governante deve ganhar o equivalente que ganharia na sua vida profissional. Para que não aconteça que fujam para cargos de gestão personalidades de elite, enquanto na vida Política fiquem os mais acomodados, ou que não têm pedalada para o desenvolvimento industrial ou das actividades nas empresas.

FM: Os políticos de carreira…

SFS: Sim, presto homenagem aos políticos de carreira. Só que um político não se improvisa; não é um amador. é um apaixonado que deve acreditar no que faz; deve estar convencido para poder ser convincente. Se houver areias de interesse, ou de ignorância, toda a máquina fica prejudicada.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *