a China apresenta um programa ambicioso, que visa reduzir as emissões de dióxido de enxofre. é um grande investimento, com efeitos benéficos para toda a humanidade.
a China apresenta um programa ambicioso, que visa reduzir as emissões de dióxido de enxofre. é um grande investimento, com efeitos benéficos para toda a humanidade. a Republica Popular da China vai investir cerca de 588 milhões de euros na redução da poluição. O investimento visa reduzir as emissões poluentes das centrais eléctricas a carvão.

a Comissão Nacional para a Reforma e o Desenvolvimento, citada pelo “China Security Jornal”, propõe-se reduzir as emissões de dióxido de enxofre em 650. 000 toneladas, sem no entanto apresentar um calendário para a execução do plano.

Cerca de 60 por cento das centrais eléctricas chinesas são a carvão. De acordo com estimativas oficiais de 2003, o consumo de carvão cresceu 13 por cento, atingindo 1. 580 milhões de toneladas por ano. Este crescimento provocou o aumento de 16 por cento das emissões de dióxido de enxofre.

Prevê-se que, em 2005, serão gastos 1. 800 milhões de toneladas de carvão para gerar energia. Significa que serão libertados 20 milhões de toneladas de gás altamente tóxico. a China é o segundo maior produtor de gases, responsáveis pelo efeito estufa, ao passo que o primeiro lugar da lista negra pertence aos Estados Unidos.

Demonstrando uma maior consciência quanto a assuntos do ambiente, Pequim manifestou a intenção de aumentar a produção de electricidade por métodos não poluentes em 10 por cento, nos próximos cinco anos.

Estima-se que a China seja responsável por 35 por cento da extracção mundial de carvão. Os acidentes em minas têm aumentado. Em 20 de Março passado, 60 trabalhadores perderam a vida numa mina da província de Shanxi. Os números oficiais indicam que, em 2004, mais de 5. 300 mineiros morreram em acidentes de trabalho.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *