O povo de Mbuta, com o entusiasmo de obter a água graças a uma bomba a motor, esqueceu-se que sem gasolina a bomba deixa de funcionar.
O povo de Mbuta, com o entusiasmo de obter a água graças a uma bomba a motor, esqueceu-se que sem gasolina a bomba deixa de funcionar. Escrevi há tempos sobre o milagre, ou quase, da água para a povoação de Mbuta, a cargo dos Missionários da Consolata, a sul de Mombasa.

Uma zona tão pobre mereceu carinhos especiais do pároco Masino Barbero e, depois de muito esforço, conseguiu-se uma bomba a motor. Depois de instalada e verificada com todos os cuidados foi a grande festa.

até a gasolina suficiente para vários dias foi posta à disposição. Os utentes, obrigando-se a uma taxa mí­nima, ficaram encarregados de manter vivo o projecto.

O pároco voltou para casa tranquilo, com a consciência do dever cumprido. Foi grande o seu espanto quando, passadas menos de 24 horas, chegou a triste notícia que o motor deixara de funcionar e se negava a arrancar de novo.

Um telefonema ao fornecedor fez com que o mesmo em pessoa se deslocasse junto do poço para corrigir a avaria. Não foi difícil encontrá-la. O povo deixara trabalhar a bomba até ela parar. Ninguém se lembrou de verificar se ainda havia gasolina no depósito!

Bom seria se os motores trabalhassem sempre sem necessidade de combustível. Tal não aconteceu em Mbuta! Essa boa gente terá mesmo que dar de beber ao motor, se quiser que ele lhes dê de beber a eles.

tobias. oliveira@fatimamissionaria.pt

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *