Os escuteiros de Fátima não param de crescer. Prova disso são os jovens Gil e Saúl, que fizeram recentemente a sua promessa de dirigentes. O agrupamento conta agora com sete chefes.
Os escuteiros de Fátima não param de crescer. Prova disso são os jovens Gil e Saúl, que fizeram recentemente a sua promessa de dirigentes. O agrupamento conta agora com sete chefes. Gil e Saúl entraram para os Escuteiros de Fátima em 2003, altura em que o agrupamento reabriu, mas só fizeram em finais de Fevereiro a promessa de dirigentes.

Estes dois escuteiros não foram para o escutismo por acaso. “Quisemos dar aos outros aquilo que nós não tivemos e gostaríamos de ter”, lembra Gil Silva, que diz ter sido também fortemente incentivado para embarcar neste projecto.

Os jovens esclarecem que o facto de passarem a dirigentes não trouxe alterações significativas às tarefas que desempenhavam no agrupamento até agora, até porque, segundo afirmam, já eram responsáveis por algumas das secções.

Para Gil a promessa foi a “confirmação” perante a sociedade dos valores que assumiu cumprir. “Eu costumo dizer que até aqui namorava com o escutismo, agora casei-me com o escutismo”, brinca Saúl, para quem é difícil encontrar palavras para descrever este movimento.

“antes de mais é uma forma de vida que eu adoptei há cerca de dois anos e que me tem dado muitas alegrias”, refere o escuta, actualmente responsável pela secção dos “Exploradores”, que integra 21 adolescentes com idades compreendidas entre os 10 e os 14 anos. “Sinto-me o irmão mais velho destes elementos”, refere orgulhoso.

Sem perder o orgulho, acrescenta ainda que o agrupamento vai ser uma espécie de “anfitrião” da Peregrinação dos Escuteiros Regionais a Fátima, agendada para este fim-de-semana, lembrando que, no ano passado, o encontro juntou cerca de 1300 escuteiros da região.

Os dois dirigentes concluem dizendo que agora a prioridade do agrupamento, a funcionar actualmente num espaço cedido gratuitamente, no Convento dos Dominicanos, é ter uma sede própria. “Havemos de lá chegar”, refere Saúl. Para isso, pretendem levar a cabo uma série de iniciativas, como jantares ou noites de fados, com vista à angariação de fundos.

Outra das acções que os escutas de Fátima pretendem organizar entretanto é uma campanha de angariação de novos dirigentes. Segundo dizem, os dirigentes actuais começam a ser poucos para tomar conta dos 60 elementos do agrupamento.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *