a Igreja Católica do Quénia honra o cardeal Maurício Otunga e os Missionários da Consolata colaboram activamente nesse tributo.
a Igreja Católica do Quénia honra o cardeal Maurício Otunga e os Missionários da Consolata colaboram activamente nesse tributo. Quando o cardeal arcebispo de Nairobi Maurício Otunga faleceu, há dois anos, veio a saber-se que ele tinha manifestado o desejo de ser sepultado no cemitério da missão de Santo austin, a primeira missão de Nairobi, entre as sepulturas de muitos dos missionários da primeira hora.

assim se procedeu, embora já na altura vozes se tivessem levantado a exigir uma sepultura na catedral ” basílica da Sagrada família ” ou noutro lugar mais condigno e acessível aos fieis.

O actual arcebispo de Nairobi, Rafael Ndingi (na foto, com o padre Tobias Oliveira), tornou agora pública a decisão de transladar os restos mortais do cardeal Otunga para um terreno da arquidiocese reservado à oração e a retiros, chamado Jardins da Ressurreição.

Os Jardins da Ressurreição foram construídos e são dirigidos pelo P. Octávio Santoro, missionário da Consolata, e foram queridos precisamente pelo cardeal Otunga, que via neles um bocadinho de céu nesta terra tão cheia de sofrimentos e incertezas.

Dada a grande virtude e grandeza de alma que sempre caracterizaram o cardeal Otunga, há quem veja neste acto da transladação um primeiro passo para o lançamento da sua causa de beatificação.

O Santuário da Consolata em Nairobi, onde exerço a minha missão, esta já recolhendo testemunhos em vista de uma possível e eminente abertura da causa de beatificação, através de um projecto a que brevemente me referirei.
Tobiasoliveira@katamail.com

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *