Em Katanga, República Democrática do Congo, dois grupos rebeldes, apoiados por uma organização não governamental, dão importantes pedaladas no caminho do desarmamento e da paz.
Em Katanga, República Democrática do Congo, dois grupos rebeldes, apoiados por uma organização não governamental, dão importantes pedaladas no caminho do desarmamento e da paz. Oitocentas bicicletas entregues em troca de 540 metralhadoras, 156 granadas e 20 flechas envenenadas: é o primeiro passo do processo de desarmamento aceite por dois dos grupos guerrilheiros armados “Mayi-Mayi” do Katanga. as bicicletas foram entregues pela organização não governamental Paz e Reconciliação, numa cerimónia na capital regional Lumumbashi, onde os lideres das duas fações rebeldes entregaram parte dos seus arsenais.

De acordo com fontes locais, um terço dos integrantes destes dois grupos são crianças. Um dos grupos, liderado por Mbayo Mpiana Mwana Butot, ainda possui milhares de armas e até artilharia.

Os comandantes destes dois grupos dirigiram-se a Kinshasa, capital do país, para integrar-se nas forças armadas do Congo, junto a outros líderes de antigos grupos rebeldes. Esta decisão suscitou críticas da parte de amigo Gonde, presidente da associação de defesa dos direitos humanos: “Quem tem as mãos manchadas de sangue deve ser punido e não premiado com o grau de general”.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *