Os utentes do Centro de Deficientes Profundos João Paulo II dispõem de uma nova escola de ensino especial. Custou cerca de 500 mil euros, graças às ajudas de beneméritos.
Os utentes do Centro de Deficientes Profundos João Paulo II dispõem de uma nova escola de ensino especial. Custou cerca de 500 mil euros, graças às ajudas de beneméritos. Uma nova escola de educação especial está em funcionamento desde o mês passado no Centro de Deficientes Profundos João Paulo II, uma instituição da União das Misericórdias Portuguesas.
a escola de ensino especial Os Moinhos, que representou um investimento na ordem dos 500 mil suportado pelo Santuário de Fátima e pela generosidade de diversos benfeitores, tem salas de aulas, salas de refeições e convívio, uma sala de terapia, além de espaços para outros serviços.
Para o presidente da União das Misericórdias Portuguesas, padre Ví­tor Melí­cias, a construção desta obra, que ficou concluí­da em cerca de sete meses, “só foi possível graças à boa vontade dos benfeitores”, uma vez que a instituição não contou com o apoio do Estado. “O Santuário foi o grande pilar deste sonho”, disse também, para depois sublinhar que o falecido padre abel Duarte deixou bens que permitiram suportar 50 por cento do edifício.
a escola de ensino especial, que funcionou em instalações provisórias desde 2000, surgiu para dar resposta a cerca de 40 crianças e jovens, residentes no centro, em idade escolar, mas com grandes limitações físicas e intelectuais e que por isso não tiveram possibilidade de serem inseridos noutros estabelecimentos escolares existentes em Fátima.
Com a ajuda de uma equipa constituída por docentes, técnicos e pessoal de apoio, os utentes da nova escola de ensino especial realizam inúmeras actividades, como a pintura ou a ginástica, mas adaptadas às suas necessidades. Estes jovens e crianças também recorrem à música e aos objectos coloridos e sonoros para realizar as suas experiências.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *