Dezenas de pessoas quiseram beijar o crucifixo missionário e despedir-se dos dois Leigos Missionários da Consolata que partem em missão para a Colômbia
Dezenas de pessoas quiseram beijar o crucifixo missionário e despedir-se dos dois Leigos Missionários da Consolata que partem em missão para a ColômbiaO Rui e a Viviana sentiram-se chamados a dar resposta ao chamamento do Senhor, segundo o carisma do beato allamano, salientou o padre João Peixoto, durante a Eucaristia de envio do jovem casal, esta manhã, em Ermesinde. E todos nós devemos interpelar-nos qual tem sido a nossa correspondência ao mandato missionário, desafiou o pároco.
O teu povo será o meu povo, foi o lema escolhido pelo jovem casal para o seu envio missionário. E a partir de 8 de Novembro, por quatro anos, o seu povo será o colombiano. Quem fica cá, continua a ter o mesmo repto para viver no dia-a-dia. a missão começa na família, na paróquia, e nunca acaba, não tem fronteiras, explicou o presidente da celebração.
João Peixoto salientou a importância da oração, na vivência de um cristão. E nova interpelação: Em vossa casa reza-se?. a oração – defendeu – é força santa das missões. Cada um é convidado a rezar, também, por este casal recém-casado que parte em missão. Mas, para isso é preciso ter uma fé viva e orante, acrescentou.
Concelebraram com o pároco de Ermesinde, quatro missionários da Consolata: Ramón Cazallas, superior da comunidade de Águas Santas dos missionários da Consolata; Silvanus Stock, em missão na Polónia e de visita a Portugal, Jorge amaro e Fernando Carneiro. as missionárias da Consolata, a comunidade de Braga dos missionários da Consolata e Leigos Missionários da Consolata vindos do Sul quiseram associar-se a este envio missionário. ainda durante esta tarde haverá um tempo para testemunho missionário e um concerto missionário.