Pela primeira vez na história, as relações entre a República de Cabo Verde e o Estado do Vaticano vão ser regidas pela Concordata
Pela primeira vez na história, as relações entre a República de Cabo Verde e o Estado do Vaticano vão ser regidas pela ConcordataO primeiro-ministro cabo verdiano, José Maria Neves, desloca-se no próximo mês a Roma, para rubricar o tratado, com o secretário de Estado, cardeal Tarcísio Bertone. Será o terceiro país, a par de Portugal e do Brasil, a assinar um documento deste tipo com a Santa Sé.
O documento vai contemplar aspectos como a personalidade jurídica da igreja em Cabo Verde e a cooperação institucional que os dois Estados irão manter. Diz respeito a questões relativas ao casamento, divórcio, educação, saúde, ensino, feriados, propriedade e isenção fiscal.
Há ainda um conjunto de questões, como o património material e imaterial da Igreja Católica, que passa pela Cidade Velha e outros monumentos históricos, que serão também contemplados pela Concordata, adianta José Maria Neves, citado pelo site África 21. até aqui, as relações entre os dois estados pautaram-se, com as devidas interpretações, pela Concordata assinada entre Portugal e a Santa Sé, em 1940.