O presidente da Conferência Episcopal Portuguesa (CEP) quer uma catequese que tenha «preocupação missionária»
O presidente da Conferência Episcopal Portuguesa (CEP) quer uma catequese que tenha «preocupação missionária»Na abertura do X Colóquio nacional de paróquias, ontem à noite, Jorge Ortiga defendeu que é tempo de passar de uma catequese de conservação, para uma catequeseaberta à dimensão missionária e evangelizadora.
O presidente da CEP quer catequistas com exigências profundas, de modo a puderem transmitir a fé, numa sociedade em que a família pôs de lado esta responsabilidade. Temque haver uma passagem da transmissão de conteúdos doutrinais para uma experiência de fé, defendeu o prelado.
O também arcebispo primaz de Braga considera que é tempo, na catequese, de se passar da centralidade da prática religiosa ao primado do empenho, do compromisso. a transmissão da fé deve deixar de ser uma experiência de fé e tornar-se uma experiência da comunidade que seinicia na fé, sublinhou o orador.
Para que esta transmissão da fé seja autêntica é preciso que Cristo seja sujeito e objecto desta. O contacto com a Palavra de Deus torna-se essencial a uma experiência de servir o Evangelho com radicalidade.
a missão da Igreja torna-se assim, em testemunhar a alegria e transmitir a esperança. Isto porque se for apenas transmitir conteúdos e não pegar na cruz, na nossa e na dos outros, a nossa linguagem, porque não tem caridade, é um sino que toca muito afinadinho, mas não é capaz de tocar o coração do homem moderno, defendeu.
Os catecismos são outra das dimensões da transmissão da fé. Ciente que a reformulação não tem acontecido como se queria e desejaria, Jorge Ortiga considera que a mais-valia são catequistas formados. Desejável é que fossem mais, sublinhou ainda.
O Colóquio nacional de paróquias procura mobilizar as 4. 400 paróquias que existem no país. Estiveram presentes na sessão de abertura 25 participantes. Este encontro ocorre a poucos meses do encontro europeu, que decorrerá em Julho, em Mons, na Bélgica.