amanhã, sábado, chegam a Pequim dois emissários do Dalai Lama para se reunirem com responsáveis chineses sobre a crise no Tibete e a violência registada
amanhã, sábado, chegam a Pequim dois emissários do Dalai Lama para se reunirem com responsáveis chineses sobre a crise no Tibete e a violência registadaO presidente da União Budista Portuguesa, entende que esta abertura para o diálogo por parte de Pequim não é mais do que uma manobra de diversão para melhorar a imagem da China junto da opinião pública mundial. À TSF, Paulo Borges defende ainda a necessidade de um intermediário internacional que pudesse moderar as negociações, por exemplo, timorense.
Os emissários do líder dos budistas vão dizer ao governo de Pequim que o Dalai Lama está profundamente preocupado acerca do modo como as autoridades chinesas têm gerido o processo. Não há expectativas elevadas sobre os resultados deste encontro, adianta a rádio.