Na sua dinâmica mensal, o Movimento Católico de Profissionais substitui o seu encontro pela participação no momento de oração e partilha organizado pela Comunidade de Taizé em Lisboa
Na sua dinâmica mensal, o Movimento Católico de Profissionais substitui o seu encontro pela participação no momento de oração e partilha organizado pela Comunidade de Taizé em LisboaÉ um encontro diferente aquele que o Metanóia de Lisboa propõe para a próxima sexta-feira. Na sua habitual dinâmica mensal, a equipa lisboeta do Movimento Católico de Profissionais convoca associados e amigos para o momento de oração e partilha organizado pela Comunidade de Taizé, numa igreja da Baixa pombalina, quando da visita do Irmão David, já noticiada por Fátima Missionária.
Para estes católicos profissionais, será uma experiência interessante substituir o seu encontro mensal pela proposta de se juntarem às crianças, aos jovens e aos adultos que estarão no encontro de São Nicolau. Será sexta-feira, 11, a partir das 19h45, na igreja de São Nicolau.
Este encontro terá momentos semelhantes aos que se vivem e propõem em Taizé ao longo do ano: oração, testemunhos e partilha de vida, e, neste encontro, a reflexão sobre um pequeno texto do irmão alois, a Carta a quem gostaria de seguir Cristo, lê-se na convocatória. assim é, de facto.como Fátima Missionária antecipou, o encontro tem início com uma breve oração. Depois de uma merenda oferecida, haverá tempo de partilha com o irmão David, com alguns testemunhos inspirados na Carta do irmão alois para 2008, sobre os temas: Pessoas que assumem opções corajosas para seguir Cristo na sua vida de família/na sociedade/num compromisso pelos outros/escolhendo o caminho do celibato.
Na sua Carta a quem gostaria de seguir Cristo, o Irmão alois defende a opção dos que seguem Jesus no caminho do celibato. Eu gostaria muito de encorajar aqueles que se deparam com a questão de uma escolha para sempre… Deus chama-te à liberdade. Não faz de ti um ser passivo. Pelo seu Espírito Santo, Deus habita em ti, mas não se substitui a ti. Pelo contrário, ele desperta energias insuspeitas… Não estamos sozinhos a seguir Cristo. Somos levados por esse mistério de comunhão que é a Igreja. Nela, o nosso sim torna-se louvor.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *