O governo chinês actualizou o número de mortos no Tibete, de 14 para 19. Mas estes dados contrastam com os do governo tibetano no exílio que apontam para 99 mortos, 80 em Lhasa e 19 na província de Gansú
O governo chinês actualizou o número de mortos no Tibete, de 14 para 19. Mas estes dados contrastam com os do governo tibetano no exílio que apontam para 99 mortos, 80 em Lhasa e 19 na província de GansúO último balanço do governo tibetano refere ainda que o número de vítimas mortais, na capital do Tibete, no dia 14, é de 18 civis e polícias inocentes , enquanto os feridos foram de 382 civis e 241 polícias, muitos dos quais estão em estado crítico, refere a Lusa.
Mas o clima não está mais amenos. São várias as críticas disparadas por Pequim ao Dalai Lama. Num editorial do Jornal do Povo , um porta-voz do Partido Comunista da China, incitou ao esmagamento resoluto dos actos de conspiração e sabotagem das forças independentistas tibetanas .
No texto publicado hoje, pode ler-se que as evidências mostram que os incidentes violentos foram provocados pelas forças independentistas tibetanas e planificados pelo camarilha do Dalai Lama com o objectivo de minar os Jogos Olímpicos e de separar o Tibete da mãe pátria .
até a oferta de diálogo de Dalai Lama, depois recusada pela China, vem agora outro editorial, na agência oficial Nova China, acusar o líder espiritual dos tibetanos tentar enganar a comunidade internacional com tal gesto.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *