Sayed Perwiz Kambakhsh, jornalista e estudante universitário foi condenado à morte por blasfémia a 22 de Janeiro. amnistia Internacional lança apelo
Sayed Perwiz Kambakhsh, jornalista e estudante universitário foi condenado à morte por blasfémia a 22 de Janeiro. amnistia Internacional lança apeloantes que começasse o julgamento, alguns líderes religiosos pediram a condenação porque, na opinião deles, o imputado tinha ofendido o Islão, informa amnistia Internacional Italiana (aII). O processo decorreu à porta fechada no tribunal provincial de Mazar-e-Sharif, sem a presença de um advogado de defesa.
Perwiz Kambakhsh é acusado de blasfémia, por ter retirado da Internet material de informação sobre o papel das mulheres no Islão e de o ter difundido na universidade de Balkh. O irmão já apresentou um apelo em seu favor. Se o apelo for rejeitado, quer pela Tribunal de apelo quer pelo Supremo, a sentença transitará para o presidente Karzai.
Como prevê a Constituição afegã, o presidente poderá ratificar, comutar ou anular a sentença. Segundo referiu o próprio Perwiz Kambakhsh, a sentença foi-lhe entregue antes de lhe ser dada a possibilidade de defender-se, refere aII. O jornalista trabalhava para um diário local de Mazar-e-Sharif. Negou todas as acusas e denunciou que a sua confissão foi obtida à força.
adira à campanha e assine o apelo.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *