Grupo prepara definição de um eventual tratado que regule este tipo de comércio. Pede-se que seja um instrumento juridicamente vinculativo
Grupo prepara definição de um eventual tratado que regule este tipo de comércio. Pede-se que seja um instrumento juridicamente vinculativo a definição de um eventual tratado que regule o comércio de armas convencionais é o motivo de uma reunião que junta especialistas na sede das Nações Unidas em Nova Iorque, Estados Unidos.
Nos cinco dias de encontro, 30 países membros do Grupo de Peritos Governamentais vão analisar a viabilidade de um projecto abrangente, que seja um instrumento juridicamente vinculativo e estabeleça normas internacionais comuns para a importação, exportação e transferência de armas convencionais.
a resolução da assembleia Geral que definiu os parâmetros para este trabalho refere o crescente apoio em todas as regiões para a conclusão de um instrumento juridicamente vinculativo, negociado de forma não discriminatória, transparente e de base multilateral, para estabelecer normas internacionais comuns para a importação, exportação e transferência de armas convencionais.
O grupo é presidido pelo embaixador Roberto García Moritán, secretário dos Negócios Estrangeiros argentino, que já antes, em 2006, presidiu a uma outra comissão das Nações Unidas de peritos governamentais para a revisão do registo de armas convencionais.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *