Mais um defensor dos direitos humanos perseguido em Pequim pelas autoridades chinesas. a amnistia Internacional promove campanha em sua defesa
Mais um defensor dos direitos humanos perseguido em Pequim pelas autoridades chinesas. a amnistia Internacional promove campanha em sua defesaHu Jia, activista de Pequim, foi formalmente incriminado por incitamento à subversão, a 28 de Janeiro passado. O advogado do activista está impedido de visitar Hu Jia. Visitas da família e tratamentos médicos necessários, devido a uma infecção de hepatite B, não lhe são permitidos.
após seis meses de prisão domiciliária e 30 dias de prisão preventiva, Hu Jia foi incriminado de modo a interromper as suas actividades pacíficas em defesa dos direitos humanos. Deste modo está impedido de denunciar as violações que se perpetuam na China, poucos meses antes do início dos Jogos Olímpicos de Pequim.
Segundo a amnistia Internacional trata-se de um claro aviso destinado aos outros activistas. Pretende-se intimidá-los para que não lancem acções semelhantes. antes da sua incriminação, Hu Jia tinha expresso publicamente a sua preocupação pelas violações dos direitos humanos.
a polícia de Pequim pusera em prisão diversos activistas sem os necessários procedimentos legais. Zeng Jinyan, esposa de Hu Jia encontra-se em prisão domiciliária, com um filho recém-nascido. além de não ser permitido sair de casa, o telefone e a Internet foram cortados.
Pode participar na campanha promovida pela amnistia Internacional Pequim 2008: Olimpíadas e Direitos Humanos na China.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *