Pelo menos 11 funcionários das Nações Unidas morreram nos atentados da argélia e alguns continuam ainda desaparecidos
Pelo menos 11 funcionários das Nações Unidas morreram nos atentados da argélia e alguns continuam ainda desaparecidosO ramo da al-Qaida no Magrebe islâmico reclamou o duplo atentado num comunicado publicado num portal islâmico. Na sequência da explosão da viatura armadilhada, morreram 26 pessoas e 177 ficaram feridas, segundo o ministério do Interior da argélia.
Onze funcionários das Nações Unidas morreram, cinco foram resgatados com vida dos escombros. O alto comissário da ONU para os Refugiados, antónio Guterres, disse não ter dúvida de que a ONU foi o alvo.
Os atentados visavam os escritórios do alto-Comissariado das Nações Unidas para os Refugiados e do Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento, no Bairro de Hydra, nos arredores de argel, e as instalações do Supremo Tribunal e do Tribunal Constitucional, no bairro vizinho de Ben aknoun.
O secretário-geral da ONU, Ban Ki-moon, qualificou os ataques de inaceitáveis; os Estados Unidos da américa, de violência insensata. Por seu turno; a União Europeia, condenou os actos odiosos contra civis e a França, qualificou os atentados de actos bárbaros e odiosos. Ki-moon pediu uma revisão imediata das medidas de segurança da ONU na argélia e noutros locais do mundo.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *