Não há grande diferença entre “ter receio de morrer com um tiro, ou ter receio de morrer de fome”, afirmou o presidente do Conselho Económico e Social (CES).
Não há grande diferença entre “ter receio de morrer com um tiro, ou ter receio de morrer de fome”, afirmou o presidente do Conselho Económico e Social (CES). Bruto da Costa defendeu que o Conselho de Segurança das Nações Unidas, que serve para evitar que haja guerras, devia servir também para evitar que haja fome .
Este novo conceito de segurança implica novas competências para aquele órgão da Organização das Nações Unidas (ONU), defendeu. Não basta que as leis e os tratados digam que todos são livres, sublinhou. É preciso que haja condições para exercer a liberdade .
acontece que quem tem fome não é livre , porque não tem condições para o ser, sublinha o responsável. Um mundo onde, lembrou, 1,6 por cento do rendimento dos 10 por cento mais ricos bastaria para retirar da miséria mil milhões de pessoas que vivem com menos de um dólar por dia. E onde a pobreza mata, a cada hora que passa, 1200 crianças.
E por isso, é preciso mais que a protecção contra a pobreza, defendida em vários textos internacionais. Um núcleo duro de direitos económicos e sociais (como o direito à alimentação e ao vestuário, por exemplo) que têm de estar consagrados nas leis dos países e que qualquer pessoa deve poder reivindicar.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *