Os direitos do homem são naturais, inalienáveis e universais, e devem ser reconhecidos e respeitados, afirmou o cardeal Marino.
Os direitos do homem são naturais, inalienáveis e universais, e devem ser reconhecidos e respeitados, afirmou o cardeal Marino. Os direitos do homem são naturais, inalienáveis e universais, e a ordem politica -nacional e internacional – tem a tarefa de os reconhecer, respeitar, tutelar e promover, afirmou o presidente do Conselho Pontifício Justiça e Paz, cardeal Renato Martino, durante 40º semana social de Espanha.
O purpurado salientou que todos os homens são irmãos e recusou todas as formas de descriminação cometida em nome da raça, da etnia, do sexo, da condição social ou da religião.
Renato Martino defendeu quea dignidade humana não pode ser destruída qualquer que seja a condição de miséria de desprezo, de marginalidade, de doença, à qual um homem possa encontra-se reduzido.
O presidente do Conselho Pontifício Justiça e Paz lembrou, também, que as as culturas caracterizadas pela eficiência, pelo materialismo prático e um individualismo utilitarista e edonista põem em perigo o inteiro corpus dos direitos das pessoas.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *