O cardeal patriarca de Lisboa defende que a “campanha deveria ser, sobretudo, um período de esclarecimento das consciências”.
O cardeal patriarca de Lisboa defende que a “campanha deveria ser, sobretudo, um período de esclarecimento das consciências”. José Policarpo esclarece as suas palavras já citadas pela comunicação social e que parecem ter gerado confusão e mesmo indignação em algumas pessoas.
Não é só por se ser católico que se é contra o aborto; basta respeitar a vida e este é, em si mesmo, um valor ético universal, afirma o cardeal patriarca de Lisboa.
Fique claro que todos os membros da Igreja e todos os que defendem a vida são chamados a participar nesse debate esclarecedor das consciências.compete aos leigos organizar e dinamizar uma campanha, no concreto da sua metodologia. O papel dos pastores é apoiar, e iluminar as consciências com a proclamação da doutrina da Igreja, anunciando o Evangelho da Vida. aos sacerdotes da nossa Diocese eu peço que se empenhem nesta proclamação da doutrina da Igreja sobre a vida, mas que saibam sabiamente marcar a diferença entre o seu ministério de anunciadores da verdade, e as acções de campanha, necessárias e legítimas no seu lugar próprio. Mas os leigos poderão contar com todo o nosso apoio nesta luta por uma Lei que respeite a vida, refere.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *