Diante de 40 mil peregrinos na praça de São Pedro, no mês missionário, o Papa elevou aos altares modelos de vida cristã que viveram em lugares e tempos diversos.
Diante de 40 mil peregrinos na praça de São Pedro, no mês missionário, o Papa elevou aos altares modelos de vida cristã que viveram em lugares e tempos diversos. Dos novos santos, Bento XVI afirmou que gastaram a vida no seguimento de Cristo e não com as riquezas terrenas, que podem afastar de Deus. as riquezas aproximam de Deus, quando postas ao serviço dos pobres, disse o Papa.
Um sacerdote italiano, de Nápoles, Filippo Smaldone é um dos santos hoje proclamado. Dedicou a sua vida ao serviço dos surdo-mudos em toda a Itália. O testemunho da sua obra foi projectado num ecrã gigante, traduzindo, em linguagem gestual, as palavras do Papa para os cinco mil surdos presentes na praça de São Pedro.
Outro sacerdote mexicano, Rafael Guízar Valência, foi proclamado santo. Desenvolveu o seu ministério, vestindo-se de vendedor ambulante, conseguindo levar a doutrina cristã aos Estados Unidos, à Guatemala e a Cuba. Daqui, como bispo, levou o Evangelho ao México então ferozmente anticristão.
Santa Rosa Venerini, uma jovem italiana de Viterbo, de boa família, tornou-se religiosa e dedicou a sua vida à promoção da mulher. abriu mais de 40 escolas em toda a Itália. O Papa elogiou a sua actividade a favor da elevação e da autêntica emancipação das jovens do seu tempo.
a francesa anne-Thérése Guérin, foi enviada pela sua congregação religiosa para os Estados Unidos, onde fundou uma casa-mãe e abriu escolas na primeira metade do século XIX. Bento XVI sublinhou a sua actividade missionária em zonas selvagens, no meio de dificuldades e privações.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *