A Fundação Calouste Gulbenkian (FCG) enviou material de proteção para o Hospital Provincial de Tete e para o Hospital Rural do Songo, em Moçambique. A instituição sediada em Lisboa procedeu ao envio destes bens em resposta a um pedido formulado por Diamantino Antunes, bispo de Tete e Missionário da Consolata.

Entre os bens doados estão “400 caixas de máscaras cirúrgicas de 50 unidades, 1000 batas descartáveis, 100 caixas de toucas de proteção de 100 unidades, 15 caixas de protetores de calçado de 1000 unidades, 150 óculos de proteção e 500 caixas de luvas não esterilizadas de 100 unidades”, informa o bispo missionário. Os materiais de proteção foram entregues pelo sacerdote Vital Conala, em nome da diocese de Tete, à Direção Provincial da Saúde em Tete.

Diamantino Antunes apelou à entrega destes bens no contexto da atual pandemia. Os materiais destinam-se aos profissionais que “lidam diretamente com pessoas infetadas” pela Covid-19. A campanha de vacinação contra a atual pandemia em Moçambique “arrancou recentemente em todo o país com a vacina Verocell oferecida pela China e com prioridade para os profissionais de saúde”. Moçambique pretende “vacinar 16 milhões de pessoas” até ao “final do primeiro trimestre de 2022, no cenário mais otimista”. O panorama “mais conservador prevê que a meta seja alcançada no final do próximo ano”.

Tagged: