amamentação
Foto: Unicef / Zahara Abdul

O projeto “Grávida sem álcool, bebé com saúde” está em curso no distrito de Caué, em São Tomé e Príncipe. O programa tem “apostado na formação de profissionais do setor social e da saúde, sensibilizando para os problemas ligados ao álcool e capacitando para uma melhor intervenção junto destes utentes e suas famílias”, explica a Helpo, uma organização não governamental para o desenvolvimento (ONGD) portuguesa, envolvida na iniciativa.

No âmbito deste projeto, existe já um “total de 35 profissionais mais conscientes e motivados para fazerem a diferença e mostrarem que é possível reduzir o consumo de álcool na população materno-infantil, em São Tomé e Príncipe”, destaca o organismo português.

Após a participação na formação, os profissionais tomaram a iniciativa de “organizar um dia de formação dirigida a 21 agentes de saúde comunitária e líderes das várias comunidades do distrito de Caué”. De acordo com a Helpo, esta ação debruçou-se sobre os “riscos do consumo de bebidas alcoólicas, principalmente nas mulheres grávidas e a amamentar” e “gerou uma discussão e partilha de experiências muito enriquecedora para todos os participantes e formadores”.

A iniciativa é motivo de grande esperança para todos os envolvidos. “[Temos] a certeza de que estamos preparados para agarrar este grave problema, que afeta não só a saúde do indivíduo, mas também a família, a comunidade onde vive e a sociedade”, destaca a Helpo.

O projeto “Grávida sem álcool, bebé com saúde” está em vigência desde o início deste ano. O programa é financiado pelo Instituto Camões, e conta com a parceria técnico-científica do Serviço de Intervenção nos Comportamentos Aditivos e nas Dependências, e do Instituto da Droga e Toxicodependência, da Câmara Distrital de Caué e da Área de Saúde de Caué.

Tagged: