Foto: Centro Zambujal

Lígia Cipriano, irmã Missionária da Consolata, natural de Sepins, Cantanhede, está de partida para terras missionárias. Aos 51 anos, a religiosa parte para o Catrimani, no Brasil, onde já esteve em missão e onde deu o seu primeiro passo na descoberta da sua vocação.

Numa Eucaristia de despedida, realizada na capela dos Missionários da Consolata no bairro do Zambujal, na Amadora, Lígia explicou a José Matias, sacerdote Missionário da Consolata, o que “sentia no seu coração”. A religiosa afirmou que “sente gratidão” por diversas circunstâncias, como a sua “vocação, família, amigos e pessoas incríveis que Deus” colocou na sua vida.

Ao mesmo tempo, a religiosa disse sentir “tristeza desta separação física com as pessoas” que ama, esperando também a “alegria do encontro com outras pessoas que Deus colocou” no seu caminho. Para a Missionária da Consolata, “foi uma grande alegria” ter passado algum tempo com os seus pais, “já de idade”, e ter regressado à sua terra. Agora, considera-se “pronta para voltar também à sua missão de coração, onde sempre esteve feliz, vivendo com pouco, mas o suficiente”.

Lígia Cipriano agradece a todas as pessoas com quem se cruzou ao longo da sua vida, promete a “oração para os que ficam por cá”, e pede a “oração pelos seus familiares e pela sua nova missão”. Recordando a passagem bíblica “Aí de mim se não pregar o Evangelho”, Lígia Cipriano afirmou que “levará este amor do crucifixo na sua boca, na sua mente e no seu coração”, onde Deus a enviar. A missionária partiu para o Catrimani nesta sexta-feira, 30 de abril.

Tagged: