Foto: EPA / SCC

O Programa Mundial de Alimentos (PMA) levou a cabo diversos voos para conhecer a extensão dos estragos agrícolas e de infraestruturas provocados ​​pelo ciclone Seroja, que atingiu Timor-Leste no início deste mês, sob a forma de chuvas torrenciais, que causaram as piores inundações dos últimos 40 anos, e que levaram o governo a pedir ajuda internacional.

Em comunicado, Joaquim Martins, secretário de Estado da Proteção Civil, refere que com o apoio do PMA, o governo de Timor-Leste teve possibilidade de entregar materiais de socorro aos cidadãos afetados, em 48 horas. Dados do Ministério da Agricultura e Pescas, mostram que “cerca de 1,6 mil hectares de arroz e 295 hectares de plantações de milho foram danificados em seis municípios” timorenses.

Pedro Reis, ministro da Agricultura e Pescas, refere que depois das inundações “muitos esquemas de irrigação foram danificados, o que é arrasador porque a maioria da população é composta por agricultores de subsistência”. Os voos de avaliação, levados a cabo em nome do governo, contam com o apoio da Mission Aviation Fellowship (MAF).

Tagged: