A assinatura de um protocolo com o Centro Distrital de Segurança Social de Braga vai permitir à Cruz Vermelha Portuguesa (CVP) contribuir para diminuição da quantidade de pessoas que vivem sem abrigo. O documento assinado “visa o financiamento para a continuidade e promoção” das respostas “Residências partilhadas” e “Housing first”, lançadas há alguns anos, e que permitem o apoio à população em situação de sem abrigo.

A experiência de “sucesso no terreno” destes projetos “identifica a necessidade de potenciar a sua atuação, abrangendo mais beneficiários”, salientam os serviços de comunicação da CVP. Perante este cenário, o Centro Distrital de Segurança Social disponibilizou-se para “apoiar esta expansão através de financiamento que vai permitir, não só acompanhar mais beneficiários, como aumentar a equipa técnica, numa ótica da redução do número de pessoas que se encontram a viver nas ruas da cidade e promoção da sua autonomia”.

Nuno Rodrigues, assistente Social da CVP e responsável pela coordenação destas respostas, destaca que “estes são projetos muito robustos que têm o objetivo de retirar pessoas da rua, assegurando o seu acompanhamento”. Por sua vez, Armando Ozório, presidente da CVP de Braga, refere que “depois da experiência piloto destas respostas foi evidente o sucesso e a necessidade de continuidade e, até, expansão da intervenção com esta população vulnerável”.

Tagged: