“é necessário contar com a eventualidade de acções violentas, declarou o comandante da força europeia ” EUFOR ” em Kinshasa.
“é necessário contar com a eventualidade de acções violentas, declarou o comandante da força europeia ” EUFOR ” em Kinshasa. O general francês Christian Damay, comandante da força de paz europeia na República Democrática do Congo (RDC), afirmou que os soldados da EUFOR devem estar preparados “para o pior cenário”, em vista da segunda volta das eleições presidenciais. Estas terão lugar a 29 de Outubro entre Joseph Kabila, presidente cessante, e um dos seus vice-presidentes, Jean-Pierre Bemba.
O novo presidente eleito deverá entrar em funções a 10 de Dezembro. “Existem expectativas que apontam para que o compromisso (da EUFOR) se prolongue até essa data”, afirmou o general francês, referindo-se à população congolesa e às Nações Unidas (ONU).
Mandatada pela ONU, a EUFOR garantiu a segurança durante o processo eleitoral na RDC ao longo de quatro meses, desde a primeira volta das presidenciais em 30 de Julho.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *