Foto: UNICEF

O continente africano necessita urgentemente de um maior fornecimento de vacinas contra a Covid-19, afirma a Organização Mundial da Saúde (OMS). Segundo a agência das Nações Unidas, atualmente as “entregas diminuem e os lotes iniciais estão quase esgotados em alguns países”. No total, 44 países de África já receberam vacinas através da Covax (Acesso Global às Vacinas da Covid-19), uma iniciativa promovida pela OMS.

Matshidiso Moeti, diretora-regional da OMS em África, refere que “uma desaceleração no fornecimento pode prolongar a dolorosa luta contra a pandemia”, e sublinha que a aquisição de vacinas “não deve ser uma competição”, uma vez que o “acesso justo tende apenas a beneficiar a todos”. A responsável defende a necessidade de “produção local em África para responder à procura”. A Organização Mundial da Saúde recomenda ainda uma “maior colaboração global das cadeias de abastecimento para garantir que fabricantes com excesso de oferta sejam postos em contacto com companhias que têm capacidade de preenchimento”.

A maioria dos países de África participa ativamente na Covax, uma iniciativa global liderada pela Organização Mundial da Saúde (OMS), pela GAVI Alliance, pela Coalizão para Inovações em Preparação para Epidemias (CEPI) e o UNICEF. A Covax tem como propósito entregar doses de vacinas suficientes para imunizar, pelo menos, 20 por cento da população do continente africano ao longo de 2021.

Texto: Juliana Batista

Tagged: