Saúde mental

O diretor do Programa Nacional de Saúde Mental da Direção-Geral da Saúde, Miguel Xavier, anunciou esta sexta-feira, 12 de março, que o governo vai criar 40 equipas comunitárias para fazer chegar cuidados de saúde mental a casa dos portugueses e construir pelo menos quatro unidades de internamento para casos agudos nos hospitais gerais.

“A saúde mental, ao contrário do que alguns pensam, não se faz com apenas um grupo profissional, mas com equipas multidisciplinares”, afirmou o responsável em entrevista ao jornal Público, explicando que para se poder “diferenciar mais a oferta de programas à população”, é necessário consolidar e reconfigurar estruturas e ultrapassar “o paradigma consulta-internamento dos últimos 30 anos”.

Segundo Miguel Xavier, pretende-se que as novas equipas – 20 para adultos e outras 20 para crianças e adolescentes – a criar até 2025/2026, vão a casa das pessoas e funcionem em articulação com os cuidados de saúde primários. “O trabalho é feito ombro a ombro com os médicos de família. Os profissionais de saúde mental têm uma palavra crucial a dizer no apoio estas pessoas, mas não podem fazer o trabalho todo”, sublinhou.

Na entrevista, Miguel Xavier anunciou ainda que se pretende retomar o trabalho interrompido em 2011 e que, para tirar os doentes agudos dos hospitais psiquiátricos, serão criadas quatro unidades em hospitais gerais: no Médio Ave, em Santa Maria da Feira, no Centro Hospitalar do Oeste, na zona de Caldas da Rainha e Peniche, e na região mais ocidental da Amadora.

Tagged: