Foto: Ianda Guiné

Vinte jovens de várias comunidades rurais da região de Oio e Cacheu, na Guiné-Bissau, iniciaram esta semana, na Escola Vocacional de Bissorã, o Curso Intensivo de Hortifruticultura e Nutrição, que parte agora para a sua segunda edição.

A formação tem uma “duração de seis meses”, e vai decorrer “sob medidas sanitárias adaptadas ao contexto da pandemia de Covid-19”, conforme explicam os serviços de comunicação da Ianda Guiné, um programa da União Europeia implementado com a população guineense.

Os jovens que integram a formação são “pequenos produtores rurais”, e o curso tem como propósito fornecer-lhes “competências técnicas no domínio da produção hortícola e nutrição”, tendo em vista a “melhoria da produtividade e hábitos alimentares, para, assim, promover a Segurança Alimentar e Nutricional nas comunidades rurais” abrangidas pelo programa Ianda Guiné.

A segunda edição do Curso de Hortifruticultura e Nutrição é uma iniciativa do programa “Ianda Guiné! Hortas”, financiado pela União Europeia na Guiné-Bissau e implementado pela ADPP Guiné-Bissau em Oio e Cacheu. O objetivo é fornecer oportunidades sociais e económicas àquela população guineense.

Tagged: