Agricultura

Uma avaliação à utilização do solo, da agricultura, refrigeração, embalagem e outras etapas dos sistemas de alimentação, revelou que mais de um terço das emissões globais de dióxido de carbono é gerado pela indústria alimentar. O Brasil, China, Estados Unidos da América, Índia, Indonésia e União Europeia surgem como os maiores emissores de gases que causam o efeito estufa.

O estudo, elaborado em conjunto pela Organização das Nações Unidas para Alimentação e Agricultura (FAO) e Centro de Pesquisa Conjunta da Comissão Europeia, concluiu que houve uma redução das emissões nas últimas três décadas, mas que, apesar disso, a cota permanece alta.

Os estágios da produção lideram a geração de emissões de CO2, respondendo por 39 por cento do total. O uso da terra e outros fatores relacionados representam 38 por cento enquanto a distribuição causa 29 por cento das emissões. O gás metano (CH4) responde por 35 por cento das emissões geradas pelo sistema alimentar tanto em países desenvolvidos como em desenvolvimento. Na maior parte dos casos o gás vem do cultivo do gado e de arroz.

Com a criação do banco de dados Edgar-Food, que serviu de base à elaboração do estudo, a FAO espera promover uma melhor compreensão do sistema global de alimentação. A ferramenta também ajuda a entender como as mudanças no padrão de consumo e a evolução tecnológica podem impactar as emissões de CO2, e ainda como os investigadores podem utilizar a plataforma para propor estratégias de combate à mudança climática.

Tagged: