Foto: UE-Activa Intensificação e Valorização da Agricultura Guiné-Bissau

Dua Camara é considerada uma das mulheres “mais influentes e trabalhadoras da sua tabanca”, na Guiné-Bissau. Ela é membro da associação Miti Mon na Lama de Dulombi, e presidente da mesa de assembleia. “Acredito que a chave para uma boa qualidade de vida e sucesso é o trabalho árduo. Nós temos a sorte de poder contar com o apoio e boa orientação do Projeto UE-Activa Eixo 3, por isso temos de aproveitar para podermos seguir sozinhos quando o projeto acabar”, explica a mulher, fazendo referência aos conhecimentos transmitidos através do projeto.

“Aprendemos muito sobre as técnicas agrícolas, como o tempo adequado para cada fase tendo em conta as condições climáticas e muitas outras coisas”, disse Dua Camara, citada pelos serviços de comunicação da UE-Activa Intensificação e Valorização da Agricultura Guiné-Bissau.

No entanto, as adversidades também têm feito parte deste percurso. “Vou aproveitar para lamentar a infelicidade que tivemos este ano com a campanha hortícola. Devido à dificuldade do acesso à água estamos atrasados, mas em colaboração com o projeto já se está a providenciar a aquisição de uma motobomba para solucionar o problema”, descreveu Dua Camara.

A associação Miti Mon na Lama de Dulombi, localiza-se sector de Cossé, região de Bafatá. O organismo conta com “126 membros”, empenhados na “construção de uma associação forte, viva e com futuro”, refere a UE-Activa Intensificação e Valorização da Agricultura Guiné-Bissau, um programa que “contribui para o desenvolvimento rural sustentável e inclusão social na Guiné-Bissau, especialmente nas regiões de Bafatá, Quinara e Tombali”.

Tagged: