A Direção Regional de Cultura do Norte (DRCN) anunciou esta terça-feira, 23 de fevereiro, em comunicado, que a igreja do Mosteiro de Tibães, em Braga, vai sofrer obras de restauro para travar os “problemas graves” de conservação e proteger o espólio artístico ali existente. O projeto está orçado em 330 mil euros.

“Atualmente, a igreja apresenta problemas graves de conservação, sendo imperioso proceder a uma intervenção que atualize a obra de recuperação e restauro da igreja, executada em 1999”, explica a DRCN, acrescentando que além da intervenção física na estrutura construtiva da igreja, será assegurada a proteção do espólio artístico existente no seu interior, “património único de valor incomensurável, já intervencionado e atualmente em risco de perda, por condições ambientais inadequadas à sua preservação”.

Fundado em finais do século XI, o Mosteiro de São Martinho de Tibães foi sendo construído ao longo dos séculos XVII, XVIII e XIX e conquistou o estatuto de Imóvel de Interesse Público em 1944. “Trata-se de um dos maiores e mais importantes conjuntos monásticos beneditinos portugueses e constitui a peça-chave na rede monástica da Ordem de São Bento do Noroeste Peninsular”, adianta a DRCN, citada pela agência Lusa.

Tagged: