Foto: Vida

Docentes da Escola Primária Completa de Manga Mascarenhas e da Escola Comunitária Santos Inocentes, na Beira, em Moçambique, estão a participar numa formação que incide sobre temáticas como a “valorização das raparigas, as alterações climáticas, os Direitos Humanos e os Direitos da Criança”, entre outros, indicam os envolvidos no projeto, em comunicado.

A formação conta com um total de oito sessões, sendo que a primeira delas ocorreu na última segunda-feira, 15 de fevereiro. A iniciativa decorre num “formato híbrido”, no qual “as formadoras estão online e os participantes estão em grupo, em formato presencial”, sob medidas que visem a diminuição do risco de contágio por Covid-19.

De acordo com os envolvidos no projeto, as sessões “assentam em metodologias participativas, tendo em vista o debate e discussão a partir das práticas diárias dos participantes, tendo como objetivo encontrar soluções coletivas para as problemáticas e necessidades identificadas”.

A iniciativa acontece no âmbito do projeto “Somos Moçambique”, dinamizado em conjunto pela Fundação Gonçalo da Silveira (FGS), Fundação Fé e Cooperação (FEC) e VIDA – Voluntariado Internacional para o Desenvolvimento Africano. O projeto é cofinanciado pelo Instituto Camões, pelo Fundo de Apoio à Reconstrução de Moçambique, pela Fundação Calouste Gulbenkian (FCG) e pela campanha “Somos Moçambique”, em Portugal.

Tagged:

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *