O Posto de Saúde Sandra Figueiredo, localizado na aldeia de Mahipa, pertence à paróquia de Santa Cecília de Ocua, na diocese de Pemba, em Moçambique, e é um importante ponto de apoio naquela região. A estrutura foi construída pelas Irmãs da Boa Nova, com o financiamento da Associação Portuguesa Amigos de Raoul Follereau (APARF), e funciona em parceria com o Ministério da Saúde.

A propósito do Dia Mundial do Doente, celebrado na última quinta-feira, 11 de fevereiro, o Centro Missionário Arquidiocesano de Braga (CMAB), que coordena um projeto de cooperação missionária com esta paróquia moçambicana, explica que o Posto de Saúde Sandra Figueiredo funciona de “segunda a sexta-feira, da parte da manhã”, mas “sempre que chega um doente de urgência, o enfermeiro é contactado e abre o posto para prestar tratamento”.

O espaço é constituído por duas áreas. Numa delas atendem-se os utentes e realizam-se exames. Noutra decorrem os “curativos ou tratamentos mais específicos”, explica o CMAB. Neste local “trabalham um enfermeiro e um auxiliar do sistema nacional de saúde”. A ele recorrem “adultos e crianças, a maior parte das vezes com sintomas de malária (que é diagnosticada através de teste rápido), disenteria, infeções, feridas, entre outros”.

“Qualquer pessoa que se dirija ao posto de saúde, se for diagnosticada com alguma doença que seja possível tratar localmente, terá acesso à medicação necessária, conforme o stock disponível, o que se revela de extrema importância neste contexto em que as distâncias são grandes e as pessoas não têm capacidade económica para comprar medicamentos. Quando a avaliação do enfermeiro demonstrar não ser possível o tratamento local, os doentes são encaminhados para o Hospital Distrital do Chiúre”, explica o CMAB.

Tagged: