O movimento “Os Solidários” iniciou esta quarta-feira, 10 de fevereiro, o projeto “Neto Solidário”, que pretende levar “netos” aos lares, para ajudar a combater o impacto negativo da pandemia nos idosos. A iniciativa está focada em apoiar lares sem fins lucrativos, mas também está disponível para responder a pedidos individuais de qualquer idoso que esteja a precisar de ajuda.

A ação dos voluntários assenta em dois pontos: levar ajuda aos lares, que podem ser alimentares ou não alimentares, e garantir um pouco de conforto aos idosos. “Por um lado, dá conforto a lares, e por outro lado, dá mimo. A componente emocional e do afeto tem um impacto muito grande nos idosos, um telefonema ou uma palavra podem fazer toda a diferença”, explicou à agência Lusa a fundadora do projeto, Luísa Fonseca.

Segundo a responsável, o processo de ajuda é organizado por uma equipa de cinco pessoas que fazem a ligação entre quem se voluntaria, “o neto que se disponibilizou para ser solidário”, e o idoso ou o lar que solicitou a ajuda. Neste momento, o projeto conta já com 50 “netos” e 15 lares inscritos, podendo os interessados inscrever-se na página digital da campanha.

O movimento “Os Solidários” tem mais de 3.000 voluntários e “nasceu de pessoas para pessoas”, com o objetivo de combater os efeitos negativos da pandemia, ajudando quem precisa: o projeto “Cama Solidário” dá “conforto aos profissionais de saúde”, o “Computador Solidário” visa ajudar crianças com carências financeiras para acederem ao ensino à distância e agora o “Neto Solidário” pretende apoiar os lares sem fins lucrativos.

Tagged: