As leguminosas são essenciais para enfrentar os desafios da pobreza, segurança alimentar, saúde humano, qualidade do solo e meio ambiente, e podem contribuir ainda para os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável, defende a Organização das Nações Unidas para a Alimentação e Agricultura (FAO), numa mensagem alusiva ao Dia Mundial das Leguminosas que se assinala esta quarta-feira, 10 de fevereiro.

Segundo os responsáveis da agência, as leguminosas são fundamentais na promoção da biodiversidade do solo e têm valor nutritivo, sendo fonte de proteína principalmente onde os derivados de leite e carne não são acessíveis para toda a população. Esses legumes também são ricos em fibra e baixos em colesterol, além de ajudar a controlar os níveis de açúcar.

Devido a essas qualidades, são recomendadas por profissionais de saúde para o tratamento de doenças não transmissíveis, como diabetes e problemas cardíacos. Também foi comprovado que ajudam a combater a obesidade.

Para os agricultores, as leguminosas são também muito importantes porque, além de serem comercializadas, podem ser consumidas, mantendo a segurança alimentar de suas famílias e estabilidade económica. Por outro lado, aumentam a produtividade das terras agrícolas por causa das propriedades do nitrogénio, que mantém afastadas pragas e outras doenças.

Outra qualidade das leguminosas, sublinha a FAO, é o facto de contribuírem para a mitigação das mudanças climáticas, reduzindo a dependência de fertilizantes sintéticos, que são usados para introduzir nitrogénio artificialmente no solo. Os gases que causam o efeito estufa são libertados durante a fabricação e aplicação desses fertilizantes e o seu uso excessivo pode ser prejudicial ao meio ambiente.

Tagged: