A Europa investiu em 2020 um recorde de 26 mil milhões de euros em infraestruturas eólicas “offshore” (aerogeradores no mar) para financiar uma capacidade de 7,1 gigawatts, uma subida substancial face aos seis mil milhões de 2019, anunciou esta semana a associação WindEurope.

Com este investimento, o parque europeu recebeu 356 novas turbinas com capacidade para gerar 2,918 gigawatts, com os Países Baixos à frente e 1,493 megawatts, seguidos da Bélgica (706 megawatts), Reino Unido (483), Alemanha (219) e Portugal (17). A potência instalada chega assim aos 25,014 gigawatts em 12 países, com 99 por cento concentrados no Rei Unido (42 por cento), Alemanha (31), Países Baixos (10), Bélgica (nove) e Dinamarca (sete por cento).

“Cada aerogerador no mar gera 15 milhões de atividade económica. Esperamos que as 77.000 pessoas a trabalhar atualmente em eólica ‘offshore’ passem a ser 200.000 em 2030″, afirmou em comunicado o presidente da WindEuropoe, Giles Dickson.

Tagged: