Foto: F.M.

As palavras de Cristo “libertam do que nos escraviza”, e “animam e fortalecem a nossa esperança, sobretudo nestes tempos conturbados que atravessamos”, disse Carlos Cabecinhas, sacerdote e reitor no Santuário de Fátima, na Eucaristia a que presidiu na Basílica de Nossa Senhora do Rosário de Fátima, na manhã do último domingo, 31 de janeiro.

Pela segunda semana consecutiva em 2021, a celebração “não contou com a presença física de peregrinos, mas foi acompanhada nas redes sociais por milhares de fiéis”, devido ao agravamento da atual pandemia, indicam os serviços de comunicação do templo mariano da Cova da Iria.

Carlos Cabecinhas disse aos fiéis que as palavras de Deus revelam como Este se “compadece do nosso sofrimento e vem em auxílio da nossa fragilidade, sobretudo nestes tempos difíceis”. “Hoje, temos de recuperar a capacidade de nos deixarmos maravilhar pelas palavras de Jesus, a capacidade de nos deixarmos surpreender pelo que Jesus tem para nos dizer”, destacou o sacerdote.

Carlos Cabecinhas aludiu depois ao exemplo dos três pastorinhos de Fátima, onde é possível encontrar “aquela capacidade de se maravilharem com as palavras de Jesus, transmitidas nas palavras de Nossa Senhora e do Anjo. Eles (pastorinhos) escutaram com atenção essas palavras e conduziram por elas as suas vidas”, realçou.

No domingo em que se assinalou o Dia Mundial dos Doentes de Lepra, o reitor do Santuário de Fátima lembrou todos “os que sofrem com esta enfermidade, que apesar de curável, ainda atinge muitas pessoas”. A celebração foi também uma ocasião para lembrar as vítimas da pandemia por Covid-19, e “todos aqueles que sofrem consequências desta situação, sobretudo pelos profissionais de saúde exaustos”, uma intenção que tem estado sempre presente nas celebrações na Cova da Iria.

Tagged: