Os bens alimentares que haviam sido armazenados em dezembro do ano passado, e que tinham sido doados para as vítimas do ciclone Chalane, na província moçambicana da Zambézia, foram desviados e as autoridades policiais estão agora no terreno a tentar descobrir o destino dos produtos e os responsáveis pelo seu desaparecimento.

Segundo informações veiculadas pela agência DW África, as autoridades administrativas da província tinham guardado grandes quantidades de arroz, feijão e óleo, entre outros produtos, em dezembro de 2020, e no último fim de semana, quando se deslocaram ao armazém para distribuir alimentos pelas famílias atingidas pelo ciclone Eloise, depararam-se com um desfalque nas mercadorias.

“No armazém não tem quase nada! É muita tristeza, temos estado a fazer muito esforço e este esforço não é acompanhado por parte dos nossos colegas. Neste momento precisamos de perceber para onde é que foi a comida. O distrito não fez a distribuição para nenhuma das nossas populações afetadas e orientamos a polícia para investigar e dar o devido tratamento a todo o pessoal envolvido nesse processo”, revelou a secretária do Estado da província, Judith Caetano.

Fontes locais apontaram o fiel do armazém dos donativos do Instituto Nacional de Gestão de Calamidades (INGC) em Inhassunge como o principal suspeito do desvio, o homem chegou a estar detido por algumas horas mas, mais tarde, foi solto por não ter sido considerada legítima a ordem para a sua detenção, informou a polícia.

Tagged: