Os primeiros seis sistemas de oxigénio produzidos integralmente por uma empresa peruana foram apresentados esta semana numa cerimónia que contou com a presença do Presidente da República do Peru, Francisco Sagasti, e começaram a ser distribuídos pelas unidades de saúde do país com mais dificuldade em garantir o apoio respiratório aos doentes com Covid-19.

Cada equipamento pode produzir cerca de 20 metros cúbicos de oxigénio com uma pureza de 93 por cento e atender simultaneamente mais de 30 pacientes infetados com o novo coronavírus, hospitalizados nas unidades de cuidados intensivos. Os aparelhos podem ainda funcionar em rede caso seja necessário abastecer um hospital com mais oxigénio.

O fabrico destas máquinas de tratamento de oxigénio foi feito a pedido dos promotores da campanha “Respira Peru”, uma iniciativa solidária que conta com o apoio da Conferência Episcopal, Sociedade Nacional de Industrias e Universidade San Ignacio de Loyola, numa altura em que o país enfrenta a segunda vaga da pandemia e regista um elevado número de novos casos.

Tagged: