Dezasseis reclusos do Estabelecimento Prisional de Angra do Heroísmo, na Ilha Terceira (Açores), frequentaram formações em carpintaria e eletricidade, ao longo de quatro dezenas de sessões. Os reclusos da turma de carpintaria envolveram-se na construção de caixas em madeira, que depois deram forma a cabazes de Natal.

A formação foi dinamizada pela Cáritas da Ilha Terceira, no âmbito do “Trilhar Caminhos”, um projeto desenvolvido pela Cáritas dos Açores, em parceria com a Escola Profissional da Praia da Vitória e o Ministério da Justiça, e que conta com o financiamento do Orçamento Participativo de Portugal (OPP) e do Governo Regional dos Açores.

Através da frequência destas formações, os reclusos integraram o programa “Gerar Percursos Sociais”, que visa a “prevenção e reabilitação psicossocial”, tornando-se numa “ferramenta essencial para o desenvolvimento pessoal e social do recluso”, explica a Cáritas dos Açores, em comunicado.

Tagged: