A Federação Portuguesa de Dadores Benévolos de Sangue (FEPODABES) lançou uma apelo nacional, esta terça-feira, 19 de janeiro, para que os portugueses, em particular os mais jovens, continuem a doar sangue e ajudem a recuperar o défice de diversos grupos sanguíneos nas reservas nacionais, que começa a tornar-se preocupante.

“As reservas nacionais de sangue apresentam neste momento níveis preocupantes em diversos grupos sanguíneos. Mesmo em pandemia, os hospitais continuam a necessitar de sangue para dar resposta às necessidades dos seus doentes”, alertou o presidente da Federação, em declarações à agência Lusa.

Segundo Alberto Mota, os grupos A positivo, O negativo e B negativo são os que preocupam mais porque só têm reservas para quatro dias, enquanto o O positivo, A negativo e o AB negativo “estão um pouco melhor, mas não estão bons”. Normalmente existem reservas de sangue para dez dias e para esse período só o AB positivo está nessa situação.

De acordo com os dados disponibilizados pelo Instituto Português do Sangue e da Transplantação (IPST) no portal www.dador.pt, diversos grupos sanguíneos apresentam reservas nacionais inferiores a sete dias, nível considerado preocupante para dar resposta às necessidades dos hospitais portugueses.

Para colmatar esta lacuna, a FEPODABES apelou a todos os dadores saudáveis que ajudem a salvar vidas, alertando que são necessárias cerca de mil unidades de sangue todos os dias e que a cada dois segundos alguém está a precisar de sangue.

Tagged: